7 de mai de 2011

“Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal nos Países em Desenvolvimento”.

O REDD é um mecanismo que compensa financeiramente países em desenvolvimento ou comunidades pertencentes a esses países, que de alguma forma, preservam as suas florestas. Tem o objetivo de reduzir a quantidade de CO2 emitida na atmosfera pelo desmatamento no planeta.

Basicamente, o desmatamento em todo mundo é responsável por cerca de 20 % das emissões dos gases de efeito estufa anuais. O REDD é uma importante proposta isolada de redução imediata das emissões.

Depois da década de 90 , os maiores emissores de gases de efeito estufa foram China (1° Lugar), EUA (2° Lugar), Indonésia (3° Lugar), e Brasil ( 4° Lugar). O REDD é implementado através de projetos pilotos e locais em diversas partes do mundo, como o projeto “Ulu Masen” na província Indonésia de Aceh, financiado pelo banco americano Merril Lynch.

No Brasil, o REDD é implementado, por exemplo, na Reserva Juma do Estado do Amazonas. Os países que reduzirem o ritmo de desmatamento recebem créditos de emissão de GEE´s (Gases de Efeito Estufa) que podem ser vendidos no mercado internacional de carbono.

O que difere o REDD do MDL (Mecanismo de Desenvolvimento Limpo), é a geração de créditos de carbono através da plantação de espécies exóticas para absorver o carbono; exige menor custo de implementação , e mantém a conservação da biodiversidade.



Fernando Rebouças

Nenhum comentário: