28 de mar de 2011

Toyota e Portugal no topo do ranking europeu de economia de combustível

Portugal se tornou o primeiro país a alcançar a meta de eficiência nos combustíveis para os automóveis na União Européia, e a japonesa Toyota é a marca que está mais perto de cumprir a mesma meta ao redor do continente, demonstrou um relatório na segunda-feira. A UE, onde 500 milhões de pessoas moram, estabeleceu a meta de reduzir as emissões de novos automóveis em uma média de 130 gramas de dióxido de carbono (CO2) por km até 2015. Os fabricantes diminuíram as emissões para uma média de 140,9 gramas em 2010. Em 2009, a redução foi para 145,8 gramas, segundo um estudo do grupo de informações automobilísticas JATO, abrangendo 19 fabricantes na UE. A emissão média de CO2 no mercado português de novos carros foi de 127,4 gramas em 2010, seguido pelo francês, dinamarquês e italiano, todos abaixo de 133 gramas. A Suécia conseguiu um dos melhores avanços, mas continua um dos mercados mais poluidores, junto com a Alemanha, com média superior a 150 gramas. A Volvo conseguiu a maior melhoria dentre os fabricantes, com corte de 13,8% nas emissões de CO2, enquanto a Toyota é a companhia que está mais perto de alcançar a meta para 2015. Os fabricantes receberam metas individuais, diferenciadas de acordo com o tamanho dos carros produzidos. O grupo Fiat é o que tem os carros mais econômicos, além de ter a meta mais ambiciosa para 2015 com 116,1 gramas. Em relação ao nível de 2010, a Fiat tem que cortar as emissões em 8,4%, segundo o relatório. A Toyota tem uma meta menos restrita de 124,8 gramas já que produz carros maiores, porém com a emissão média já tendo caído para 130 gramas em 2010, a fabricantes apenas precisa alcançar cortes de 4,2% até 2015. Reuters

Nenhum comentário: