22 de abr de 2012

O DESAFIO DA ADAPTAÇÃO

As mudanças climáticas já são realidade para diversas populações. Por isso, iniciativas de adaptação às alterações do clima são necessárias e urgentes nessas regiões. Porém, o que ocorre atualmente é que as nações que sofrem e/ou sofrerão impactos menos intensos já estão se preparando, enquanto aquelas mais vulneráveis não conseguem implementar estratégias para se adaptarem aos fenômenos climáticos. Portanto, é urgente o apoio financeiro de países desenvolvidos às populações mais pobres e que vivem em áreas de risco. A ONU calcula que seria necessário um investimento imediato de valores que varia entre US$ 50 bilhões e US$ 70 bilhões por ano. Já um estudo publicado pelo Instituto Internacional para Ambiente e Desenvolvimento (IIED, sigla do inglês) e pelo Instituto de Mudanças Climáticas do Imperial College de Londres agosto de 2009 estima que os custos reais para adaptação podem ser de duas a três vezes maiores do que as estimativas da ONU. Em setembro, o Banco Mundial divulgou que os gastos dos países desenvolvidos no auxílio à adaptação das nações em desenvolvimento devem ser entre US$ 100 bilhões anuais até 2050, ressaltando que o investimento geraria economia no futuro. No cenário nacional, a região Nordeste é tida como a mais vulnerável devido aos seus problemas socioeconômicos e ambientais típicos do Semi-Árido.Outro grave gargalo brasileiro é a necessidade da criação de bases para o estabelecimento de políticas públicas para essa agenda. Faltam recursos para fazer planejamento e estabelecimento de infra-estrutura. Outra deficiência reside na falta de estudos, pesquisas e mapeamento sobre as vulnerabilidades do país. As ações de adaptação previstas nas políticas públicas voltadas para as mudanças climáticas ainda são tímidos e inconsistentes. Um exemplo disso é que o Plano Nacional de Mudanças Climáticas possui apenas um artigo sobre as possibilidades de adaptação no Brasil. Mudanças Climáticas - ANDI

Nenhum comentário: