4 de set de 2010

A Iniciativa Economia Verde do PNUMA (2)

A Iniciativa Economia Verde é baseada em três linhas de atividades e produtos desenvolvidos a nível global, regional e nacional.

Análise Política: Sustentando todos os aspectos da Iniciativa Economia Verde está uma ênfase na análise na política econômica robusta e prática que informa a tomada de decisões em tempo hábil.

Além de contar com capacidade interna, a iniciativa alavanca consultoria em economia verde dentro de sua rede global de parceiros, que inclui outras organizações da ONU, instituições acadêmicas, grupos de reflexão, negócios e grupos ambientalistas.

Com base nos trabalhos precedentes e na identificação de pesquisas de ponta necessárias, esta ampla rede contribui para: análise de desafios e oportunidades em determinados setores verdes, desenvolvimento de uma análise quantitativa e de modelos macroeconômicos que avaliam o impacto dos investimentos verdes; e identificação de condições e opções políticas que permitam a transição para uma economia verde.

A maior parte da análise política e dos esforços de investigação da iniciativa está atualmente focada como produto principal, o Relatório de Economia Verde, que apresenta avaliações profundas dos setores verdes a partir de análises econômica e abordagens de modelagem e no gerenciamento da série de relatórios sobre A Economia de Ecossistemas e da Biodiversidade (TEEB), que examina os benefícios da biodiversidade na economia global.

Tendo como alvo tomadores de decisão nos campos de meio ambiente, economia, finanças e empregos, os relatórios sobre Economia Verde e TEEB procuram influenciar os líderes de governos, do mundo dos negócios e a sociedade civil e incentivar a ampla mudança da sociedade por meio da oferta de recomendações práticas para a ação.

Serviços de consultoria: Proporcionar consultoria e apoio aos governos, empresas e sociedade civil é essencial para alcançar uma transição global para uma economia verde e é parte integrante desta iniciativa. Por meio de assessoria, o PNUMA procura responder a requerimentos específicos por parte dos países empreendedores de iniciativas de economia verde.

Esses serviços incluem assistência no desenvolvimento e avaliação das reformas para a economia verde, proporcionando apoio analítico e investigativo, com base em experiência internacional e nas melhores práticas, bem como no reforço de capacidades analíticas a nível nacional, em particular nos países em desenvolvimento. Ao realizar tais serviços de assessoria, o PNUMA está trabalhando em parceria com instituições nacionais - visando a reforçar o seu papel como motores de mudança -, de outras agências da ONU e de uma rede de instituições de pesquisas políticas e grupos de reflexão em torno do mundo para gerar dados em tempo útil, informação e análise para dar suporte às decisões políticas.

Parcerias: A conquista de uma economia verde só será possível se houver visão coletiva, criatividade, ação e apoio de uma ampla parcela da sociedade, incluindo governos, setor privado, instituições multilaterais de desenvolvimento e financeiras e consumidores. O PNUMA engaja e estimula a colaboração com uma série de parceiros no âmbito do sistema Nações Unidas, governos, setor privado, consumidores, políticos, instituições acadêmicas e ONGs na realização de um futuro de baixo carbono e eficiência de recursos.

A Iniciativa Economia Verde trabalha com esses parceiros para desenvolver produtos de pesquisa; harmonizar a mensagem política da economia verde, fornecer serviços de consultoria regionais e nacionais e identificar recursos financeiros e humanos para realizar atividades de economia verde. A Economia Verde foi adotada como uma das Iniciativas Conjuntas Sobre Crise (JCI, na sigla em inglês), patrocinada pelo Conselho de Chefes Executivos da Organização das Nações Unidas, envolvendo um grande número de agências do sistema ONU, o Banco Mundial, o Fundo Monetário Internacional, a Organização Mundial do Comércio e outros organismos intergovernamentais.

Além de trabalhar com agências irmãs das Nações Unidas, o PNUMA conta também com o trabalho de organizações da sociedade civil e da comunidade empresarial no estabelecimento de uma coalizão de economia verde.Alguns resultados: A Cúpula do G20, realizada em Londres em abril de 2009, foi informada sobre o trabalho do PNUMA no Novo Acordo Global Verde e fez referência ao relatório no comunicado emitido após a reunião, com um compromisso dos líderes para "construir uma sociedade inclusiva, verde e uma recuperação sustentável" e para " acelerar a transição para uma economia verde".

Cerca de 15 por cento dos US$ 3 trilhões em medidas fiscais comprometidos até o final do primeiro trimestre de 2009 foram relacionados a temas ambientais, como as energias renováveis, eficiência de energia em edifícios e transportes sustentáveis.

Mais de 20 agências da ONU emitiram uma declaração conjunta na Assembléia Geral sobre a crise econômica e financeira mundial e o seu impacto sobre o desenvolvimento (Nova Iorque, E.U.A., junho 2009), que chamou o mundo para uma transição mundial para uma Economia Verde de baixo-carbono e de eficiência de recursos.

Houve também uma apresentação da iniciativa para mais de 170 oficiais no Fórum Climático da Ásia Oriental, em maio de 2009, em Seul, República da Coréia, onde especialistas e pesquisadores da Ásia Oriental adotaram a "Iniciativa para o Crescimento Verde com Baixa Emissão de Carbono na Ásia Oriental" para apoiar um esforço regional nas áreas da água, manejo de florestas, planejamento urbano e energia renovável no continente.

A Iniciativa foi apresentada em uma série de workshops sobre economia verde em oito países do Oriente Médio, que levou à identificação por representantes de governos, setor privado e sociedade civil, dos setores prioritários para a inserção da economia verde na região.
A Iniciativa compôs também a base para a Terceira Conferência Ministerial Africana sobre Financiamento para o Desenvolvimento em Maio de 2009, em Kigali, na Ruanda, durante a qual ministros africanos de finanças e meio ambiente aprovaram um comunicado para criar um ambiente propício para a transição para uma economia verde e prosseguir rumo a um crescimento de baixo carbono.

Mais de uma dúzia de países na África, Ásia Oriental, Oriente Médio e a América Latina atualmente colaboram com o PNUMA na iniciativa economia verde.

Fonte:PNUMA

Nenhum comentário: