21 de nov de 2011

Investimentos em energias renováveis devem dobrar na próxima década

O valor anual da capacidade instalada de energias renováveis dobrará para US$ 395 bilhões em 2020, crescendo para US$ 460 bilhões em 2030 em comparação com US$ 195 bilhões em 2010, estima a Bloomberg New Energy Finance no Panorama Global dos Mercados de Energia Renovável.

Como resultado, em vinte anos 15,7% da energia total gerada no mundo virá de fontes renováveis (incluindo grandes usinas hidroelétricas). No ano passado a fatia era de 12,6%.

Geograficamente, a Europa continuará um dos maiores mercados em termos de dinheiro gasto com projetos nos próximos três anos, mas com uma fatia descendente de investimentos devido aos problemas econômicos atuais. A partir de 2015, isto deve mudar face ao compromisso do bloco com as metas de energia renovável para 2020.

Não é surpresa que a BNEF coloque a China no topo dos investimentos em 2014, com gastos estimados em mais de US$ 50 bilhões. Estados Unidos e Canadá, conjuntamente, devem alcançar os US$ 50 bilhões em investimentos em 2020.

O panorama demonstra que a América Latina, assim como outras economias em rápido crescimento, como a Índia, terá as mais altas taxas de expansão do setor renovável, com projeções entre 10-18% ao ano na próxima década.

Com relação às tecnologias, reduções de custos incentivarão a aplicação da energia solar, sendo a segunda que mais deve crescer (a primeiro sendo a energia eólica offshore) dos atuais 51 GW para 1.137 GW em 2030, exigindo capital anual em média de US$ 130 bilhões até 2030.

O setor eólico continuará a crescer atraindo US$ 140 bilhões em 2020 e US$ 206 bilhões anuais em 2030 (2010: $82 bilhões), especialmente pela expansão dos parques eólicos offshore tanto na Europa quanto em mercados emergentes como a América Latina, Austrália e África.

A BNEF aponta que o setor de biocombustíveis será renovado com a comercialização de tecnologias de segunda geração. Os investimentos devem aumentar de US$ 14 bilhões em 2010 para US$ 80 bilhões em 2020.

“Os grandes ganhadores nos próximos vinte anos serão os centros de energias renováveis emergentes na América Latina, Ásia, Oriente Médio e África – em 2020 os mercados fora da União Européia, Estados Unidos, Canadá e China equivalerão a 50% dos investimentos globais anuais”, enfatizou o diretor de pesquisas em mercados de commodities da BNEF Guy Turner.




Fonte: Instituto CarbonoBrasil/Bloomberg New Energy Finance

Nenhum comentário: