8 de dez de 2010

BIOCOMBUSTÍVEIS

Os biocombustíveis são materiais de origem biológica que, a partir do processo de queima, geram energia. Alguns exemplos de matérias-primas para a produção de biocombustível são: cana-de-açúcar, resíduos de madeira e alguns tipo de plantas (mamona, soja, pinhão-manso, dendê, colza girassol).

Atualmente, o principal incentivo para o desenvolvimento das tecnologias de produção dos biocombustíveis são as dúvidas com relação aos combustíveis fósseis, como a instabilidade do preço do petróleo, a redução das reservas mundiais, a maior dificuldade de extração (custos e impactos ambientais maiores) e o corte nas emissões de gases do efeito estufa.

ControvérsiasCom o aumento do preço dos alimentos, os biocombustíveis passaram a ser criticados por estarem competindo no mercado internacional. O que precisa ficar claro nesta questão é que nem todos os biocombustíveis entram nesta polêmica, como por exemplo o etanol produzido a partir a cana-de-açúcar e da celulose. A polêmica maior está em torno das produções feitas a partir de grãos utilizados para alimentação, como o etanol de milho ou trigo e o biodiesel de óleo de soja.

Outro fator que precisa ser considerado é a contribuição da expansão da fronteira agrícola para o desmatamento brasileiro. Na Amazônia este problema é atenuado pelas condições desfavoráveis do local, como afirma o ex-ministro da agricultura, Roberto Rodrigues, ao Jornal da Bioenergia.
Segundo ele, "plantar cana na Amazônia é logisticamente idiota e agronomicamente burro", pois a produção da agroenergia se caracteriza por plantas industriais que estejam próximas do campo para obtenção de matérias-primas e não muito longe dos centros consumidores dos combustíveis.

Mas, fica em aberto a discussão relacionada a pressão sob os outros ecossistemas brasileiros, como o cerrado, uma vez que 86% da produção nacional de cana se concentra na região centro-sul.Além disso, Rodrigues também destaca a pequena quantidade de países produtores e a segurança de abastecimento destes combustíveis.A questão social também é motivo para muitas discussões, pois as novas tecnologias e o tamanho da demanda por biocombustíveis, que tudo indica ser exponencial nos próximos anos, suscitam dúvidas sobre a fatia de mercado que caberá à agricultura familiar em contraposição com as grandes monoculturas.

Uma tendência internacional, que está sendo discutida na União Européia para amenizar os problemas anteriormente descritos é a criação de padrões para a compra destes combustíveis, onde uma certificação poderia ser estabelecida para assegurar a procedência. Esta certificação levaria em conta critérios ambientais e sociais.

Nenhum comentário: